Um – Dois e Já

A captação setembro 29, 2010

Filed under: Captação,Guerreiro Sem Armas — Beatriz_Pedreira @ 11:58 pm

Pessoal, hoje estive com o Emydgio (Guerreiro de 2009). A gente trabalha junto mas hoje ficamos um tempinho conversando sobre captação de recursos e foi excelente: tivemos a ideia de gravar um depoimento sobre a experiencia dele. Vamos gravar na sexta!!! Não aguentei, tive que contar logo para vocês. Nós ficamos falando do GSA e estou a cada dia mais animada porque a cada dia que passa fico mais perto!

Anúncios
 

Pano de fundo julho 2, 2010

Filed under: Guerreiro Sem Armas,Inspirações — Beatriz_Pedreira @ 2:46 am

Atenção: as tarefas estão separadas por páginas – clique nos links acima!

Eu me chamo Beatriz, mas como toda Bia nunca sou chamada de Beatriz. Minha vida é um constante quebra de paradigmas e por isso meu apelido não poderia seguir lógica diferente, foi então que aos 8 anos me apelidaram de Biró.

Nunca gostei de fazer o mesmo que todo mundo faz, sempre tive uma vontade pulsante de transgredir normas e fazer diferente. E lá fui eu, aficionada por leitura desde muito menina, frequentadora de terreiros que conheci cedo, não porque as pessoas da minha familia tinham esse hábito, mas porque pedia insistentemente para me levarem. Daí, creio que nasceu a fascinação pela cultura brasileira,pela beleza de seus ritos “marginais”.

Venho de família de classe média, pai engenheiro, mãe comerciante, sem nunca ter presenciar  qualquer debate politico acalorado. Com 10 anos gostava de ver as campanhas eleitorais na TV e aos 14 anos já lia revistas de esquerda. Fui seduzida pelos conceitos da luta armada e revolução socialista para viver em lugar de igualde social e economica. Bom, naturalmente fui parar na faculdade de ciências sociais, mas lá também quis ser diferente. Não curti o “barato nostálgico regado a Marx” e acabei numa ONG focada em melhoria da gestão pública. Virei ET na faculdade, reacionária e qualquer outro adjetivo dessa natureza.  Com essa experiencia descobri porque minha alma se encostou nesse país: para exercer a causa pública com dignidade de uma grande estadista, que luta por um lugar melhor para todos através da democracia e de suas instituições.